Quem sou eu

Minha foto
Naturologista,Iridologo,Fitoterapeuta,Universidade em Pedagogia.Pró-Reitor da UniReiki Marituba/Pará - Reiki Master,Doutorado “Stricto Sensu” em Terapia Holística,Mestre Vitalício do ConReiki -CRK 10.280,Curso de Música em Educação Profissional,etc.Email- gilakel@hotmail.com /Tel:whats (91)988659079 PortabilidadeTIM/(91) 999946364 OI

quarta-feira, 15 de junho de 2011

A nova era da música na web

Katy Perry
A cantora Katy Perry usou o YouTube para publicar um teaser do videoclipe no qual ela      interpreta uma adolescente tímida dos anos 80


Com as conexões rápidas presentes em celulares, tablets, TVs e notebooks, o conteúdo multimídia se libertou do disco rígido dos PCs

São Paulo - Com seus espalhafatosos paletós prateados, topetes e óculos escuros gigantes, a banda The Buggles foi a primeira a ter um clipe exibido na transmissão de estreia da MTV, no dia 1º de agosto de 1981. O motivo da escolha? A ligação entre o momento que a cultura pop começava a viver e a mensagem clara que o grupo passava com a música Video Killed The Radio Star.
É muito provável que você nunca tenha ouvido falar dos Buggles, mas isso não chega a ser um problema. Basta digitar o nome da banda no app do YouTube no seu celular para assistir ao clipe ou entrar no GrooveShark para ouvir de graça todas as faixas que o grupo gravou na vida. Percebeu? Nos tempos atuais, o título seria “Internet Killed The Video Star”.
Com as conexões rápidas presentes em celulares, tablets, TVs e notebooks, o conteúdo multimídia se libertou do disco rígido dos PCs. Tudo está na web à distância de um clique, sem a necessidade de download, cadastro ou pagamento. Apple, Amazon, Google, Microsoft e Sony começam a levar a sério essa tendência e, com uma diferença de poucos meses, anunciaram serviços que consolidam a diversão 100% online.
Como de costume, o anúncio da Apple foi o que mais fez barulho. Com o iTunes Match, que custará 25 dólares anuais, todas as músicas presentes no Mac do usuário serão transferidas para os servidores da Apple, chamados de iCloud, e ficarão disponíveis para serem ouvidas em qualquer aparelho com a marca da maçã. “Vamos rebaixar o PC a apenas mais um dispositivo. Mudaremos o centro da sua vida digital para a nuvem”, disse Steve Jobs no anúncio oficial do iCloud, no meio de junho.
Apesar do tom profético do presidente da Apple, para muitos, os verbos dessa afirmação deveriam ser conjugados no presente. “Como muitos jovens brasileiros, nunca fui de comprar CD ou música online”, diz Paulo da Silva, 24 anos, engenheiro de software sênior do Grooveshark, serviço musical online com sede em Gainesville, Flórida. “Antes do Grooveshark, eu usava o Kazaa e tinha mais de 100 GB de MP3 no meu computador. Hoje não tenho nenhum arquivo de música no HD”, afirma Silva, o primeiro funcionário registrado do Grooveshark, que tem hoje um time de 34 pessoas.
Leia nas próximas páginas:
De acordo com números da Federação Internacional da Indústria Fonográfica, o lucro dos 50 álbuns mais vendidos no mundo desabou 77% entre os anos 2003 e 2010. Por isso, iniciativas como a da Apple e seu iCloud são bem-vindas para as gravadoras. Continuação:
Leia também o artigo Industria Musical
bandas brasileiras surgiram diante dessa nova realidade e conseguiram se consolidar nesse ano de 2006, foram eles: "Cansei de Ser Sexy" de São Paulo, "La Pupuña" de Belém do Para, "Mombojo" de Pernambuco, "O Coletivo Paulista Instituto" de São Paulo, como também, o grupo "Turbo Trio" e a cantora paulistana "Céu".


Nenhum comentário:

Postar um comentário